Em nossa cultura não nos foi dito que poderíamos escolher e depois mudar de ideia. A tendência sempre foi a de que temos que escolher corretamente pois, do contrário, muito de nossa vida ficará comprometida. E assim é que escolhemos o curso na faculdade, a roupa para usar na festa, aonde ir, o que criar, o parceiro para casar etc.

No entanto, não raras vezes nos aprisionamos na escolha feita acreditando não ser possível ou ser muito trabalhoso mudar; seriam inúmeras as consequências…, como vou fazer isso, o que vão dizer… etc. Conheço pessoas que pouco antes de casarem-se sabiam que não seriam felizes, mas como os convites para a festa já estavam distribuídos, seguiram assim mesmo. Na verdade, é comum escolhermos seguir adiante com a esperança de que vai dar tudo certo. Não é assim?

Por outro lado, como seria se escolhesse a cada momento? Você poderia ser mais livre se soubesse que nenhuma escolha é boa por mais de 10 segundos? Ou seja, se pudesse escolher algo e, depois, escolher de novo, e de novo, mudando a cada momento? Quando se acredita que é preciso fazer escolhas certas são eleitos muitos julgamentos. Do contrário, quando se sabe que não há obrigação de estar certo, e que tudo pode ser mudado, seria possível viver com mais leveza?

Passamos a vida tentando chegar à uma conclusão certa, a um lugar certo e, assim, retiramos de nós a possibilidade de termos total escolha.

Mas se você tivesse apenas 10 segundos para viver a sua vida, o que escolheria?

Quando você vive em incrementos de 10 segundos, sua vida passa a ser mais divertida e você mais livre, criativ@ e feliz.