Você está consciente do seu potencial e de quem você realmente é ou segue tentando ser outra pessoa, crendo que não é bom o suficiente, que não sabe fazer, que tem dificuldade de aprender, que tem medo se ser visto, que não suportará os julgamentos dos outros, etc?

Pode parecer tolo, mas quantas vezes você deixou de executar uma ideia porque tão logo ela surgiu você a exterminou com seu próprio julgamento de que não era boa o suficiente?

No entanto, você é mais potente do que imagina, e o que os outros pensam ou vão dizer a seu respeito ou a respeito do que você cria é apenas um “interessante ponto de vista” que eles têm, e não necessariamente uma verdade ou uma mentira. Envolver-se nesse ponto de vista é deixar de criar sua vida e seu futuro; é não estar comprometido com o seu viver, verdadeiramente; e tudo deriva de pensamentos, julgamentos, conclusões de pessoas que não têm ideia de quem você é, nem do seu momento, nem da sua consciência (e vice-versa). Cada Ser é único e o que os outros pensam ou dizem são interessantes pontos de vista e nada mais. Assim, não deveriam influenciar as suas escolhas.

Quando vive a sua vida como tudo sendo um interessante ponto de vista você deixa de criar limitações, crenças, julgamentos e afins e torna-se livre mais e mais. De acordo com Gary Douglas (fundador de Access Consciousness), se estiver disposto a reconhecer, durante um ano, que todo ponto de vista que você tiver sobre qualquer coisa, situação ou pessoas é apenas um interessante ponto de vista, você não mais terá ponto de vista sobre nada e estará livre… e leve.

Assim, como seria sua vida se escolhesse SER totalmente você e por você, sabendo que todo ponto de vista que tem é apenas um interessante ponto de vista?